Posts

CRIMPAGEM DE CABOS

por Bruno Alves, Técnico em Informática Turma 43


Então, de repente você precisa puxar um cabo de rede do seu roteador ou tomada de dados e está pensando em chamar o técnico de redes para solucionar o seu problema, este artigo foi feito especialmente para você:

Normalmente em nosso dia-a-dia usamos conexões sem-fio para nos conectar à internet, seja pela facilidade e mobilidade que se nos apresenta dentro dos edifícios que frequentamos, seja em nossa casa, trabalho, shopping centers e praças públicas. Porém esse tipo de conexão, apesar de facilitar a nossa vida, pode ser mais lento se comparado à conexão cabeada. Os padrão mais utilizado atualmente para roteadores é o 802.11n que possui capacidade de transmissão de até 600 megabits por segundo. Os roteadores mais recentes vêm com o padrão 802.11ac que apresentam taxa máxima de transmissão de até 866.7Mbps.

Já a conexão cabeada com par trançado de cobre tem taxa média de transmissão de 1 gigabit por segundo, o que é uma taxa consideravelmente maior, e pode ser utilizada em locais onde a conexão sem-fio não seja viável.

Vale lembrar que esse tipo de conexão vale apenas para dispositivos que possuam entrada para cabo de dados rj45, como notebooks, desktops, servidores, impressoras, etc.

POR ONDE COMEÇAR?

Você precisará medir, com alguma folga, a distância entre a máquina e o ponto de rede. Acrescente em torno de 10% o tamanho do cabo na distância medida.

A ESCOLHA DOS CABOS

Atualmente usam-se com mais frequência os cabos categoria 5 e categoria 6.

Desses, o cat5e(Category 5 Enhanced) possui maior custo benefício devido ao baixo custo, instalação e maleabilidade; porém apesar de oferecer suporte gigabit ele trabalha à taxa de média de transmissão de 100mbps podendo alcançar até 1gbps se devidamente configurado.

Cat6 possui melhores taxas de transmissão, onde 2 de seus pares trabalham na recepção de dados a 500mbps e dois na transmissão a igualmente 500mbps. Sendo esse aconselhável na infraestrutura de backbones de roteadores e seletores. Este cabo possui um divisor físico entre seus pares metálicos diminuindo assim o ruído, ou interferência causada pelos sinais parcialmente sobrepostos uns sobre outros.

PADRÕES DE CRIMPAGEM

Padrões universais foram definidos por órgãos reguladores para normatizar as conexões elétricas e eletrônicas de cabos de rede e sua conectorização.

Basicamente existem dois padrões de montagem que são o 568a e 568b. Em nada diferem esses dois padrões em relação à performance, a única diferença é em relação a seus pares na conectorização. Não se deve misturar os dois tipos de padrão na mesma instalação a menos que se deseje como resultado um cabo crossover, utilizado para ligar dois computadores entre si diretamente em rede.

O padrão 568a é composto da seguinte forma:

Verde listrado, Verde, Laranjado listrado, Azul, Azul listrado, Laranjado, Marrom listrado, Marrom

Já o padrão 568b fica assim:

Laranjado listrado, Laranjado, Verde Listrado, Azul, Azul listrado, Verde, Marrom listrado, Marrom

O QUE VOU PRECISAR?
  1. → Cabo de rede
  2. → Conectores RJ45
  3. → Alicate de Corte
  4. → Alicate de Crimpagem

O processo de crimpagem é relativamente simples e consiste em:

Descascar o cabo de maneira que não machuque os fiozinhos dentro do cabo.

Selecione o padrão desejado e coloque os fios nessa ordem, da esquerda para a direita.

Iguale as pontas dos fiozinhos, cortando-os em linha reta.

Tome o conector RJ45 e vire-o de ponta-cabeça, com a trava para baixo e os dentes de cobre para cima.

Insira as pontas dos pares metálicos dentro do conector, de maneira que cheguem até o fundo em igualdade de tamanho.

Utilize o alicate de crimpagem para finalizar o processo. Se preferir pode utilizar um testador de cabo de rede para conferir se não ocorreram erros durante a crimpagem do cabo.

Teve qualquer dúvida?

Confira o mega tutorial que a galera da Engehall Elétrica preparou especialmente para você:

REFERÊNCIAS:

Olhar Digital

Digel

BlackBox

PTComputador

IDX

Imagens de:
PNGFLY