Está categoria contém postagens realizadas por alunos do Professor Tiago Ramos.

CRIMPAGEM DE CABOS

por Bruno Alves, Técnico em Informática Turma 43


Então, de repente você precisa puxar um cabo de rede do seu roteador ou tomada de dados e está pensando em chamar o técnico de redes para solucionar o seu problema, este artigo foi feito especialmente para você:

Normalmente em nosso dia-a-dia usamos conexões sem-fio para nos conectar à internet, seja pela facilidade e mobilidade que se nos apresenta dentro dos edifícios que frequentamos, seja em nossa casa, trabalho, shopping centers e praças públicas. Porém esse tipo de conexão, apesar de facilitar a nossa vida, pode ser mais lento se comparado à conexão cabeada. Os padrão mais utilizado atualmente para roteadores é o 802.11n que possui capacidade de transmissão de até 600 megabits por segundo. Os roteadores mais recentes vêm com o padrão 802.11ac que apresentam taxa máxima de transmissão de até 866.7Mbps.

Já a conexão cabeada com par trançado de cobre tem taxa média de transmissão de 1 gigabit por segundo, o que é uma taxa consideravelmente maior, e pode ser utilizada em locais onde a conexão sem-fio não seja viável.

Vale lembrar que esse tipo de conexão vale apenas para dispositivos que possuam entrada para cabo de dados rj45, como notebooks, desktops, servidores, impressoras, etc.

POR ONDE COMEÇAR?

Você precisará medir, com alguma folga, a distância entre a máquina e o ponto de rede. Acrescente em torno de 10% o tamanho do cabo na distância medida.

A ESCOLHA DOS CABOS

Atualmente usam-se com mais frequência os cabos categoria 5 e categoria 6.

Desses, o cat5e(Category 5 Enhanced) possui maior custo benefício devido ao baixo custo, instalação e maleabilidade; porém apesar de oferecer suporte gigabit ele trabalha à taxa de média de transmissão de 100mbps podendo alcançar até 1gbps se devidamente configurado.

Cat6 possui melhores taxas de transmissão, onde 2 de seus pares trabalham na recepção de dados a 500mbps e dois na transmissão a igualmente 500mbps. Sendo esse aconselhável na infraestrutura de backbones de roteadores e seletores. Este cabo possui um divisor físico entre seus pares metálicos diminuindo assim o ruído, ou interferência causada pelos sinais parcialmente sobrepostos uns sobre outros.

PADRÕES DE CRIMPAGEM

Padrões universais foram definidos por órgãos reguladores para normatizar as conexões elétricas e eletrônicas de cabos de rede e sua conectorização.

Basicamente existem dois padrões de montagem que são o 568a e 568b. Em nada diferem esses dois padrões em relação à performance, a única diferença é em relação a seus pares na conectorização. Não se deve misturar os dois tipos de padrão na mesma instalação a menos que se deseje como resultado um cabo crossover, utilizado para ligar dois computadores entre si diretamente em rede.

O padrão 568a é composto da seguinte forma:

Verde listrado, Verde, Laranjado listrado, Azul, Azul listrado, Laranjado, Marrom listrado, Marrom

Já o padrão 568b fica assim:

Laranjado listrado, Laranjado, Verde Listrado, Azul, Azul listrado, Verde, Marrom listrado, Marrom

O QUE VOU PRECISAR?
  1. → Cabo de rede
  2. → Conectores RJ45
  3. → Alicate de Corte
  4. → Alicate de Crimpagem

O processo de crimpagem é relativamente simples e consiste em:

Descascar o cabo de maneira que não machuque os fiozinhos dentro do cabo.

Selecione o padrão desejado e coloque os fios nessa ordem, da esquerda para a direita.

Iguale as pontas dos fiozinhos, cortando-os em linha reta.

Tome o conector RJ45 e vire-o de ponta-cabeça, com a trava para baixo e os dentes de cobre para cima.

Insira as pontas dos pares metálicos dentro do conector, de maneira que cheguem até o fundo em igualdade de tamanho.

Utilize o alicate de crimpagem para finalizar o processo. Se preferir pode utilizar um testador de cabo de rede para conferir se não ocorreram erros durante a crimpagem do cabo.

Teve qualquer dúvida?

Confira o mega tutorial que a galera da Engehall Elétrica preparou especialmente para você:

REFERÊNCIAS:

Olhar Digital

Digel

BlackBox

PTComputador

IDX

Imagens de:
PNGFLY

PADRÕES DE CRIMPAGEM DE CABOS UTP: PARA QUE SERVE E COMO CRIMPAR

A padronização da montagem dos cabos nasceu da necessidade de se evitar ruídos e perda de performance nas transmissões de dados e voz. Um cabo montado de qualquer jeito, sem padronização, pode sofrer com interferências que podem pôr a perder a conexão. O motivo é que determinados fios não podem estar muito próximos uns dos outros dentro do conector.
Os cabos são muito importantes para o funcionamento de uma rede, já que eles são responsáveis pela transmissão de dados, sejam eles referentes à internet, transferência de arquivos entre estações ou ainda ao compartilhamento de impressoras ou algum outro periférico.

O que é crimpagem?

Segundo a definição do dicionário informal, CRIMPAR é o ato de plugar o cabo de rede ao conector RJ-45 utilizando alicate específico.

Padrões A e B

Antes de iniciar a crimpagem, escolha um dos padrões de sequência para as pontas. Existem dois padrões mais utilizados: eles são conhecidos como EIA/TIA 568A(padrão A) e EIA/TIA 568B(padrão B). Ambos funcionam perfeitamente.

fonte: baixaki

Tipos de Cabos

Cabo Direto

Os cabos diretos são utilizados para interligar computadores e HUBs/Switchs. Nestes cabos, as pontas devem ser exatamente iguais, pois, caso contrário, a transferência de dados não ocorrerá. O padrão utilizado em um dos cabos deverá ser o mesmo na rede inteira.

Cabo Crossover

Cabos crossover são utilizados para interligar dois computadores diretamente, dispensando o uso de um HUB ou Switch. Nesse caso, se você precisar compartilhar a internet, será necessário que um dos dois computadores possua duas placas de rede. Em uma delas você ligará o cabo crossover e em outra o cabo da internet, o qual será um cabo direto. Os cabos crossover também são utilizados para ligar um HUB/Switch a outro.

fonte: baixaki

O que você precisa para crimpar?

  • cabo UTP;
  • alicate;
  • conector RJ-45;
  • descascador de fio;
  • testador de cabos.

Passo-a-Passo

O primeiro a fazer é cortar o cabo em sua medida ideal com o alicate, logo em seguida insira o cabo no descascador e com ele gire para que os fios fiquem um pouco à mostra sem danificar quaisquer dos fios e então estique-os para facilitar coloca-los na ordem correta.

Apare as sobras dos fios com a ajuda do alicate ou descascador. Feito isso insira-os no conector RJ-45. Certifique-se de que todos os fios coloridos estão chegando até o final do conector, de modo que quando você for crimpá-los, as placas douradas encostem em todos os fios coloridos. Também é importante que os fios fiquem todos dentro no conector, pelo menos 1/3 do cabo dentro do conector.

Feito isso insira-os no conector RJ-45 e coloque no alicate para crimpa-lo pressionando-o.

Então com o testador verifique se as luzes e numerações estão na ordem correta.

Após seguir esses passos seu cabo está pronto para uso.

Cuidados e recomendações

O comprimento máximo de segmento de cabo é de cerca de 100 metros e mínimo de 30 centímetros.
Nunca esmague o cabo, pois pode comprometer sua estrutura.
Nunca passe o cabo de rede junto a rede elétrica, pois pode sobre interferência gerando perda da eficiência de transmissão.

Postado por: Michelle e Lucas Gomes – T.I. 43

Criar Pasta Compartilhada em Rede Privada

Como mudar o nome e a senha de acesso do seu roteador

Por Lucas Santana, Vinicius Salvato e Carlos Neto – formados em técnico em informática pelo Senac – SP e com certificação FURUKAWA PROFESSIONAL UPDATE.

Caso você queira mudar o nome e a senha de acesso do seu roteador , abaixo ensinaremos como fazer isso. O processo pode variar de roteador a roteador, mas em geral o processo é o mesmo para todos, para isso é preciso acessar as configurações do roteador e mudar essas informações a partir de lá.

1. Descubra qual é o IP do seu roteador

Para acessar as configurações do seu roteador, você precisará abrir o navegador. Em seguida, na barra de endereços, você precisara colocar o IP dele. Trata-se de um conjunto de quatro grupos de três números, cada grupo separado do demais por um ponto. O número pode variar entre roteadores. Para saber qual é o seu IP basta seguir este passo.

Windows:  Na área de trabalho, aperte a tecla Windows + R, escreva “cmd”  e aperte enter. Isso fará com que o prompt de comando apareça. Escreva em seguida “ipconfig” e aperte enter. Alguns dados sobre a rede apareceram. Procure por “Gateway padrão” e anote o número que está ao lado: esse é o endereço do roteador.

Agora basta colocar esse endereço na barra de pesquisa de seu navegador.

2. Acessando as configurações do roteador

Assim que colocar o endereço seu navegador mostrará uma tela de login. Por padrão, o nome de usuário é “admin” e a senha padrão também é “admin”. Caso não lembre a senha, o manual do seu roteador deve ter mais informações sobre a senha padrão dele. Se você mudou a senha e não se lembra dela, segure o botão liga/desliga do seu roteador por 30 segundos: isso reverterá a senha para o padrão.

3. Procure pelas configurações Wi-Fi ou Ferramentas de sistema

O nome para entra pode variar de roteador a roteador, nesse caso o nosso roteador é da marca TP-LINK. No menu da lateral esquerda, clique em “Ferramentas do Sistema” e depois na subcategoria “Usuário e Senha”. Digite o nome de usuário e senha padrões (admin) e em seguida personalize esses dados com seus códigos pessoais. Lembre-se de repetir a senha nova no último campo. Confirme em “Salvar”.

Talvez o seu roteador peça para que você o reinicie antes de aplicar as mudanças. Assim que ele ligar, sua rede já estará com o novo nome e senha. Você precisará conectar novamente todos os seus dispositivos.

Tutorial de instalação de um servidor Proxy, Linux, SQUID!

Instalação do Squid (Servidor Proxy)

Squid é um servidor proxy que suporta HTTP, FTP, HTTPS, ele roda em sistemas operacionais como o Linux e O Windows. Sua principal função é reduzir a conexão e melhora os tempos de resposta fazendo cache de requisições frequentes de páginas web numa rede de computadores.

A seguir você verá os comandos necessários para instalar o squid usando o Ubuntu:

Etapa 1 – Instalar o pacote

Os pacotes Squid estão disponíveis nos repositórios yum padrão. Execute o comando abaixo no seu servidor para instalar o servidor proxy SQUID.

$ sudo apt-get install apache2
$ sudo apt-get install sarg
$ sudo apt-get install squid

Etapa 2 – Configurar a porta Squid

A porta padrão para os servidores proxy Squid é 3128 . Você pode alterar isso de acordo com os requisitos. Para configurar o Squid em uma porta diferente, edite o arquivo de configuração do squid e altere o valor http_port com a nova porta.

/etc/squid/squid.conf

  http_port 3128

Depois de fazer a alteração, reinicie o serviço Squid para recarregar as alterações na configuração

$ sudo service squid restart

Os próximos passos ajudarão você a configurar o Squid Proxy Server nos sistemas Ubuntu. Use apenas as configurações necessárias para o seu servidor proxy.

Etapa 3 – Permitir todo o tráfego

Às vezes, você precisa permitir todo o tráfego no seu servidor proxy. No servidor Squid, abra o arquivo de configuração do Squid. Comente o http_access negar todas as linhas e adicione o http_access allow all entry neste arquivo.

/etc/squid/squid.conf

 http_access allow all
 #http_access deny all

Etapa 4 – Bloquear site específico com o Squid

Vamos começar com a configuração adicional, como bloquear qualquer site usando o servidor proxy squid. Adicione as regras abaixo para bloquear um site específico antes de permitir todas as regras. O exemplo abaixo bloqueará yahoo.com e www.rediff.com.

/etc/squid/squid.conf

acl blocksite1 dstdomain yahoo.com
acl blocksite2 dstdomain www.rediff.com
http_access deny blocksite1
http_access deny blocksite2

Se você possui uma lista longa de nomes de domínio, crie um arquivo /etc/squid/blockwebsites.lst e coloque os nomes de domínio um por linha e adicione a regra abaixo no arquivo de configuração do squid.

/etc/squid/squid.conf

acl blocksitelist dstdomain "/etc/squid/blockwebsites.lst"
http_access deny blocksitelist

exemplo de conteúdo do arquivo blockwebsites.lst :

$ cat /etc/squid/blockwebsites.lst
yahoo.com
www.rediff.com

Etapa 5 – Bloquear palavra-chave específica com o Squid

Adicione as regras abaixo para bloquear um site específico antes de permitir todas as regras. O exemplo abaixo bloqueará todas as páginas com a palavra-chave yahoo ou Gmail.

/etc/squid/squid.conf

acl blockkeyword1 url_regex yahoo
acl blockkeyword2 url_regex gmail
http_access deny blockkeyword1
http_access deny blockkeyword2

Se você possui uma lista longa de palavras-chave, crie um arquivo /etc/squid/blockkeywords.lst e coloque palavras-chave uma por linha e adicione a regra abaixo no arquivo de configuração do squid.

/etc/squid/squid.conf

acl blockkeywordlist url_regex "/etc/squid/blockkeywords.lst"
http_access deny blockkeywordlist

exemplo de conteúdo do arquivo blockkeywords.lst:

$ cat /etc/squid/blockkeywords.lst
yahoo
gmail
facebook

Parabéns, você instalou e configurou com êxito o servidor proxy Squid.

Criado e Postado Por: Gabriel Edgar, Henrique, André Augusto