Tecnologia: como a educação pode se adaptar e obter sucesso

. Entretanto, quando utilizada corretamente, ela pode ser um dos maiores aliados da Educação. Diante de tantos inventos tecnológicos, não é difícil encontrar aplicações didáticas a eles. Confira agora algumas maneiras de adaptar a Educação a esse mundo conectado e melhorar o aprendizado dos estudantes!

Modernizar o material escolar

Em um mundo onde a preservação ambiental se torna cada vez mais essencial, pode ser estranho ainda depender de tanto lápis e papel. Contudo, aos poucos isso está mudando. Muitas escolas já passaram a utilizar diversas alternativas digitais para os materiais escolares. Desde projetores e lousas digitais até tablets e atividades digitais para os alunos, a Educação tende a ficar cada vez mais digital.

Os tablets caíram nas graças dos educadores, pois são mais baratos e práticos do que os laptops, e permitem que os alunos acessem todos os livros escolares e realizem as atividades sem a necessidade de carregar tanto peso. As escolas também já começaram a implementar a divulgação digital das notas de suas avaliações, assim como um portal para que os pais possam ter acesso a comentários, elogios e reclamações dos professores sobre o desempenho escolar das crianças.

Internet além das redes sociais e dos mecanismos de busca

A internet tem um poder muito maior do que o de ser utilizada apenas para redes sociais e os sites de busca. Muitos professores já perceberam que alguns dos deveres de casa são realizados com uma busca superficial e uma cópia dos principais resultados encontrados.

É preciso incentivar os alunos a irem além da cópia e buscar produzir a própria versão do conteúdo, de acordo com o seu entendimento sobre a comparação dos dados da pesquisa. Outra alternativa é colocar a internet a favor das ideias dos alunos. Um projeto chamado GLOBE, por exemplo, conecta mais de 4 mil escolas do mundo com cientistas. Através da plataforma, os alunos coletam dados ambientais de suas regiões e os enviam aos especialistas, que ajudam a analisá-los e a sugerir soluções para problemas do meio ambiente local.

Estimular a cooperação e a interação

Atualmente, existem diversas ferramentas de compartilhamento simultâneo de arquivos, como o Google Drive, o Dropbox e o OneDrive. Essas ferramentas não permitem apenas que os alunos acessem os arquivos para estudo, mas também que realizem atividades através de uma colaboração online em tempo real. Isso serve tanto para realizar trabalhos e tarefas de casa, como para fazer sessões de debates e estudo online.

Jogos a favor da educação

Os jogos sempre foram ótimos para desenvolver algumas habilidades de concentração, visão periférica, análise crítica e raciocínio rápido. Se forem utilizados corretamente, os games podem tornar o aprendizado mais vivencial e divertido.

A Clickideia, por exemplo, é uma empresa brasileira provedora de conteúdo educacional para escolas públicas e privadas. Ela desenvolveu, focando em alunos do Rio Grande do Norte, um jogo interativo que aborda um massacre ocorrido durante a invasão holandesa no Estado, em 1645. É uma forma diferente de aprender um fato histórico e que pode ser mais eficiente para as crianças do que a leitura simples.

Aulas e avaliações online

Outro recurso que já vem sendo utilizado por algumas escolas e faculdades são as aulas e avaliações online. Embora geralmente sejam aplicadas a apenas algumas disciplinas, o uso de videoaulas para o aprendizado permite que o aluno aprenda a qualquer momento, em seu próprio ritmo, além de poder reassistir a aula diversas vezes. Isso personaliza a construção de seu conhecimento e exercita a autonomia acadêmica.

Já as avaliações online permitem que os professores possuam um feedback mais rápido, podendo ser utilizadas para diferenciar as principais dificuldades, e facilidades, de cada aluno.

Ensino híbrido

No Objetivo Sorocaba, o ensino híbrido foi adotado como método de ensino para o uso eficiente da tecnologia na educação.

Há três anos, esse método é utilizado com alunos desde a Educação Infantil, até o Ensino Médio, sendo que o Fundamental I tem, no mínimo, uma aula híbrida semanal para cada turma, e o Fundamental II tem uma aula híbrida por bimestre, em cada disciplina.

0 respostas

Deixe seu Comentário

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *